O candidato do PSDB à Presidência, José Serra, proferiu um discurso ácido contra o governo Luiz Inácio Lula da Silva durante ato de lançamento do movimento suprapartidário Gaúchos com Serra, ontem, em Porto Alegre. Serra acusou o governo de clientelismo no caso dos Correios, cuja diretoria, segundo ele, “não serve aos Correios, mas aos partidos ou setores de partidos”. “Nunca o patrimonialismo e a fisiologia avançaram tanto no nosso país”, afirmou o tucano.

“Nunca o governo foi tão usado para fins privados. O que eu quero fazer é estatizar os órgãos públicos para servirem ao público, e não aos partidos, a um interesse, a um grupo”, disse Serra no encontro, que reuniu cerca de mil pessoas entre filiados de PP, PSDB, DEM, PPS, PMDB, PTB e PSC, além de intelectuais e artistas sem filiação partidária.

Em seu discurso, o tucano afirmou ainda que os “300 picaretas do Congresso”, frase dita por Lula quando era de oposição, hoje apoiam Dilma Rousseff (PT), sua adversária na corrida eleitoral. “Não sou daqueles que digam (sic) que o Congresso Nacional tem 300 picaretas”, afirmou. “Hoje, estão todos com a outra candidata.”