O ex-prefeito de Porto Alegre José Fogaça e o ex-governador do Rio Grande do Sul Germano Rigotto, ambos do PMDB, declararam no começo desta tarde apoio à candidatura de José Serra (PSDB) à Presidência da República, após reunião com as bancadas estadual e federal do partido.

No primeiro turno, Fogaça havia se declarado em situação de neutralidade porque compunha a sua aliança para o governo do Estado o PDT, que apoia a presidenciável do PT, Dilma Rousseff. O ex-prefeito não informou em quem votou no primeiro turno. Já Rigotto, que também fez campanha declarando neutralidade, admitiu ter votado na candidata derrotada do PV à Presidência, Marina Silva.

Ambos afirmaram que o apoio a Serra foi tomado em circunstâncias diferentes do primeiro turno, agora sem as limitações das alianças e da divisão da base do próprio PMDB. Apesar do apoio, tanto Rigotto quanto Fogaça avisaram que não vão participar ativamente da campanha de Serra, alegando que esta tarefa ficará para os deputados eleitos. No primeiro turno, Fogaça perdeu a eleição para o governo do Estado. E Rigotto não conseguiu uma vaga para o Senado.