Foto: Dida Sampaio/Agência Estado

Rigotto, Michel Temer e Garotinho.

Apesar de não ser o vencedor da consulta nacional para indicar o candidato a presidente da República, promovida pelo seu partido, o PMDB, o governador licenciado do Rio Grande do Sul, Germano Rigotto, derrotou no Paraná o seu oponente, Anthony Garotinho. Com 68% dos votos, Rigotto fez 610 sufrágios e bateu Garotinho, do Rio de Janeiro, que fez 290 votos. A votação no Paraná foi tranqüila e compareceram 900 convencionais dos 1.800 com direito a voto.

"O Rigotto é um dos quadros mais sérios que o PMDB tem no Brasil, absolutamente incorruptível, corajoso e capaz de levar a bandeira do PMDB, o único partido que questiona o atual modelo econômico e quer debater a contradição entre o Brasil-mercado e o Brasil-nação", disse o governador do Paraná, Roberto Requião, principal liderança peemedebista no Estado.

O presidente do PMDB do Paraná, deputado estadual Dobrandino da Silva, disse que a vitória de Rigotto no Estado já era esperada depois que as principais lideranças do partido anunciaram o apoio à sua candidatura. "Eu sempre disse que no Paraná, a tendência era uma vitória do Rigotto, mas o Garotinho também se mobilizou bastante. Os convencionais do PMDB entenderam que deve ser o Rigotto o candidato do partido à presidência da República e essa deve ser a tendência nos outros estados".

Dobrandino considerou "absurda, sem explicação", as liminares que tentaram suspender a consulta do PMDB. "Com liminar ou sem liminar, isso não faz a menor diferença. Para nós o importante, que o partido se manifestou claramente pela candidatura própria", disse o presidente regional do partido.