Integrantes do Movimento dos Trabalhadores Sem Terra (MST) bloqueiam pelo segundo dia consecutivo trecho da BR 163 próximo a Sinop norte de Cuiabá (MT). A ação acontece simultaneamente com a ocupação da sede do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária no Estado por 200 pessoas. Segundo a assessoria da PRF, durante toda a terça-feira, 27, a rodovia apresentou congestionamentos. Só estão sendo liberados carros oficiais e ambulâncias.

Além do assentamento de novas famílias, os manifestantes querem melhorias para os já assentados. Os integrantes do MST também protestam contra o leilão da usina de Sinop marcada para o próximo dia 29. A usina, segundo o movimento atingirá diretamente cerca de 200 famílias. Até agora nenhum assentado foi indenizado.

Um dos integrantes do MST em Mato Grosso, José Vieira, disse que as manifestações só serão encerradas com uma resposta concreta do órgão. De acordo com Vieira, o Incra não tem cumprido com acordos anteriores. Com relação à ocupação da sede do Incra, a reivindicação principal é a assinatura do decreto de três processos de assentamento que há mais de cinco anos tramitam no órgão. Na última reunião entre Incra e o MST em junho ficou definido que o decreto seria assinado no fim deste mês.

Em Mato Grosso, há cerca de quatro mil famílias do MST assentadas e três mil acampadas.