O Ministério Público de Minas Gerais (MP-MG) instaurou procedimento investigatório para analisar a evolução patrimonial do ex-deputado e suplente de senador, José de Oliveira Costa, o Zezé Perrella (PDT). Mais conhecido por presidir o Cruzeiro, Perrella é o primeiro suplente do senador Itamar Franco (PPS), que se licenciou para tratar de uma leucemia diagnosticada recentemente.

A Promotoria de Defesa do Patrimônio Público do MP-MG abriu investigação com base em reportagem do jornal Hoje em Dia, segundo a qual Perrella ocultou de seu patrimônio uma fazenda localizada em Morada Nova de Minas e avaliada por corretores em cerca de R$ 60 milhões.

A Fazenda Guará é uma filial da empresa Limeira Agropecuária e Participações Ltda., cujas cotas foram transferidas para três filhos (95%) e um sobrinho de Perrella. O ex-deputado alega que transferiu as cotas há oito anos e rechaça as suspeitas.

Na última declaração de bens entregue ao Tribunal Regional Eleitoral (TRE), Perrella informou patrimônio de R$ 490 mil. Na eleição de 2006, quando foi eleito deputado estadual, o presidente do Cruzeiro declarou à Justiça Eleitoral bens no valor de R$ 724,5 mil.

O suplente de senador garantiu que declarou ao Imposto de Renda a doação das cotas da Limeira Agropecuária. “Nunca fui condenado em absolutamente nada. Temos de partir da presunção da inocência. Se eu tivesse ficha suja eu seria suplente de um ex-presidente da República?”, questionou.