Durante a visita da comitiva brasileira aos Estados Unidos, dois acordos de cooperação de combate ao crime serão firmados nesta segunda-feira (18), segundo o ministro da Justiça, Sergio Moro.

+ Fique esperto! Perdeu as últimas notícias sobre segurança, esportes, celebridades e o resumo das novelas? Clique agora e se atualize com a Tribuna do Paraná!

“São acordos de troca de informações. Haverá agentes de ligação de um país sendo encaminhados para o outro. Isso favorece a cooperação jurídica, já que os países têm interesses comuns de combate ao crime, principalmente, contra a lavagem de dinheiro”, revelou o ministro.

+ Leia mais: Burger King promete sanduíche para quem ‘queimar’ anúncio do McDonald’s no app

Moro agendou três reuniões para a tarde de segunda-feira. A primeira com o secretário do Departamento de Segurança dos Estados Unidos (Homeland Security), Kirtsjen Nielsen, em seguida com o procurador-geral dos EUA, William Barr, e por último com o diretor do FBI, Christopher Wray.

“Agentes da lei fazem esse [tipo de] acordo para facilitar a cooperação. Informação é tudo. São informações sobre casos criminais, sobre criminosos”, explica Moro. “À medida que isso se torna disponível de um país para o outro, tanto os Estados Unidos como o Brasil saem ganhando”, completa.

+ Leia mais: Além do Hino Nacional, Hino de Curitiba também será executado semanalmente em escolas

Mais cedo, o ministro acompanhou o presidente Jair Bolsonaro em visita à CIA, a Agência de Inteligência Americana. Nesta terça-feira (19), Sergio Moro participa de um encontro privado com Bolsonaro e com o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump.

Lula pediu para Dilma beneficiar empresas, diz Palocci