O relator do processo de análise das contas federais referente a 2014 da presidente Dilma Rousseff no Tribunal de Contas da União (TCU), ministro Augusto Nardes, afirmou nesta sexta-feira, 11, que “refuta a ideia de que exista análise política” do processo das pedaladas. “Nós vamos analisar tecnicamente”, afirmou após receber o advogado-geral da União, Luís Inácio Adams, que entregou a última parte da defesa da presidente. O ministro do TCU frisou que o trabalho de análise das contas será feito “com cautela e equilíbrio”.

O ministro evitou dar um prazo para análise do processo e preferiu não se manifestar quanto à análise do Tribunal. Como já tinha informado, Nardes ressaltou que solicitará urgência na tramitação do processo. “O País precisa definir essa situação, isso repercute na credibilidade”, disse.

Hoje terminava o prazo dado pela Corte, que foi prorrogado por duas vezes, para que o governo apresentasse as explicações sobre possíveis irregularidades nas contas do ano passado.

O principal ponto da análise do TCU são as “pedaladas fiscais”, prática do Tesouro Nacional de atrasar de forma proposital os repasses para bancos públicos e privados com a finalidade de melhorar artificialmente as contas públicas.

Após a apresentação de explicações pelo governo, a equipe técnica do TCU irá elaborar um parecer sobre as contas. Depois, o relatório será levado a plenário pelo relator do processo, ministro Augusto Nardes.