O deputado federal Max Rosenmann (PMDB) comentou, ontem, o levantamento do site Congresso em Foco que o coloca como o segundo deputado paranaense mais faltoso nas sessões plenárias, com 25 faltas (todas justificadas).

Rosenmann lembrou que é membro do Parlamento do Mercosul e explicou que, quando está ausente da Câmara dos Deputados, está em Montevidéu, no Uruguai, onde mensalmente se reúnem os 18 parlamentares de cada país que forma o bloco econômico.

“Todas as minhas faltas foram porque estava nas sessões do Parlamento, deliberando sobre assuntos importantes para o continente, como a posição sobre a rodada de Doha e a passagem da Marinha americana por nossa costa”, disse. “Acabo de voltar de Montevidéu, teve sessão nesta semana, não teve recesso parlamentar para os deputados do Mercosul”, comentou.

Rosenmann é um dos 18 parlamentares brasileiros indicados por seus partidos para compor o Parlamento do Mercosul. Ele informou que a Câmara dos Deputados estuda mudar os critérios para a escolha dos membros do Parlamento e acredita na possibilidade de, em 2010, haver eleição direta para os cargos. “No Paraguai já é assim. Temos de aprovar uma mudança na lei até ano que vem para que também possamos ter eleição direta no Brasil”, revelou.