Apesar da posição do diretório estadual do PMDB e do governador Roberto Requião (PMDB) em defesa do afastamento do governo Luiz Inácio Lula da Silva (PT), a bancada federal do Paraná é majoritariamente favorável a se manter alinhada ao governo federal. Dos oito deputados federais do Paraná, apenas Max Rosenmann tem a mesma posição de Requião. Os demais são contrários à saída do governo, incluindo o líder do PMDB na Câmara, o paranaense José Borba. Ontem à tarde, por nove votos a oito, a executiva nacional decidiu adiar a convenção para o dia 3 de março, desde que em quarenta e oito horas, os ministros Amir Lando (Previdência Social) e Eunício Oliveira (Comunicações) deixem seus cargos.

O deputado Moacir Micheleto disse ontem que a bancada paranaense não está isolada na defesa da sustentação ao governo do presidente Lula. Micheleto citou que dos 76 deputados federais peemedebistas em todo o país, 52 estão a favor da permanência do governo. E dos 23 senadores do PMDB, vinte discordam do desligamento do governo, informou.

Na lista dos favoráveis apresentada por Micheleto, além dele e de Borba, estão Hermes Parcianello, Odílio Balbinoti, Osmar Serraglio, Airton Roveda e Hidekazu Takayama.

Em março ou no dia 12, se a convenção for realizada, Micheleto acredita que o resultado pode ser bem mais ameno do que esperam os defensores do afastamento.