O senador Blairo Maggi (PR-MT) explicitou hoje o descontentamento de seu partido pela forma como o governo tem agido em relação a denúncias de corrupção. Depois de ser alvo de uma “faxina” nos Ministérios dos Transportes, o PR esperava que a presidente Dilma Rousseff usasse o mesmo expediente ao tratar de denúncias que envolvessem outros partidos. Para Maggi, ao poupar a pasta da Agricultura, que está nas mãos do PMDB, Dilma não está sendo coerente.

“Eu disse, lá atrás, que o governo tinha errado na mão conosco. Depois daquilo se esperava que ela fosse para cima em todos os casos. O que nós queremos é que se dê o mesmo tratamento que teve no caso do PR, de limpar, tirar fora e depois discutir. Se não, ficam dois pesos e duas medidas”, disse Maggi.

O senador afirmou serem mais graves as denúncias apresentadas na área do Ministério da Agricultura do que as que levaram à demissão de 27 pessoas nos Transportes. “As denúncias que vieram nos Transportes não tinham conteúdo. Agora (na Agricultura) tem endereço nome e CPF. Tem mais embasamento. Espero que o governo faça o afastamento de todos os citados”, afirmou.

Apesar dos ataques, Maggi nega que esteja pedindo diretamente a saída do ministro Wagner Rossi. Para ele, o que não pode é haver tratamento diferenciado. “Não vou pedir demissão de ninguém. Só quero que o governo dê ao PMDB, ao PP, ao PTB, ao PT, em qualquer lugar que apareça denúncia, o mesmo tratamento dado ao PR”, concluiu.