O presidente Luiz Inácio Lula da Silva mandou nesta terça-feira (6) o PT colocar um "ponto final" na idéia de um terceiro mandato consecutivo. Em encontro com os presidentes da Câmara, Arlindo Chinaglia, e do PT, Ricardo Berzoini, ele determinou o fim da polêmica, levantada por setores do partido num momento em que o governo negocia com o PSDB a proposta de prorrogar a vigência da Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira (CPMF).

Constrangido, o deputado Ricardo Berzoini teve de dar uma entrevista no Palácio do Planalto, logo depois do encontro, para apresentar a posição oficial do partido. "É importante colocar um ponto final em uma pauta que é absolutamente artificial", afirmou. "Não há, por parte do PT, nenhuma movimentação nesse sentido.

Ontem, Lula disse em entrevista que iria cobrar de Berzoini uma posição sobre o assunto, demonstrando que não queria mais ouvir falar em terceiro mandato. Para manter a pose, o presidente do PT negou que tenha sido enquadrado por Lula e disse que esteve no gabinete do terceiro andar do Planalto apenas para "conversar". O deputado afirmou que o debate é "extemporâneo" e "inventado".