O presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirmou nesta quarta-feira (5) que a eleição de Barack Obama para a presidência dos Estados Unidos “representa, sobretudo, um reconhecimento da democracia”. Acrescentou: “Quem duvidava de que um negro poderia ser eleito presidente dos EUA agora sabe que pode. Isso acontece num regime democrático, que é onde a sociedade se manifesta. Acho que é um feito extraordinário a eleição do primeiro negro na história dos Estados Unidos.”

Lula disse que a vitória de Obama representa um reconhecimento da democracia “sobretudo porque é uma pessoa que tem demonstrado competência política.” O presidente disse esperar que ele mantenha uma “relação mais forte com América Latina, América do Sul, Brasil e África” e possa, “finalmente, fazer um acordo de paz no Oriente Médio, porque já faz décadas e décadas que se tenta e não se consegue.”

“Não tenho dúvida nenhuma”, continuou o presidente, “de que, da parte do Brasil, vamos continuar aumentando a parceria que temos com os EUA. Espero que, com o governo Obama, possamos continuar negociando. Espero que ele tenha uma política mais voltada para o desenvolvimento produtivo na América Latina. É preciso que os EUA continuem uma política mais ativa em relação à América Latina. Durante as décadas de 1960 e 70, você tinha a Guerra Fria. Portanto, os EUA tinham uma visão contra a guerrilha na América Latina. Agora, a democracia se consolidou no (sub)continente”, afirmou Lula.

O presidente ainda falou esperar que Obama reveja o embargo comercial contra Cuba. “Espero que continue aqui um programa de desenvolvimento e investimento nos países mais pobres e o fim dos subsídios. Espero que o bloqueio à Cuba acabe, porque não há nenhuma explicação na história da humanidade para a continuidade do bloqueio.” Ao concluir a entrevista, Lula mostrou-se cauteloso: “De qualquer forma, há uma diferença muito grande entre ganhar uma eleição e governar um país como os Estados Unidos. Então, vamos esperar ele tomar posse para ver o que vai acontecer”, disse.