Apesar de não disputar as eleições deste ano como candidato, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva foi destaque no início de horário eleitoral gratuito na TV. O programa da sua candidata, Dilma Rousseff (PT), apostou na emoção e na ligação com o presidente. Dentre os depoimentos em prol de sua escolhida, Lula a recomendou, mais uma vez, para o eleitorado brasileiro: “Não tem ninguém mais preparado para governar (o País) do que Dilma.”

Lula esteve presente também, de uma forma indireta, no programa do candidato do PSDB, José Serra (PSDB). Sem ignorar os elevados índices de popularidade do presidente, os marqueteiros do tucano apostaram no bordão: “Quando Lula da Silva sair é o Zé que eu quero lá.” O presidenciável do PSDB foi também apresentado de uma maneira mais popular, como o “Zé”.

Na avaliação do cientista político Humberto Dantas, conselheiro do Movimento Voto Consciente, as propagandas do PSDB e do PT tiveram bom ritmo e apostaram na biografia dos presidenciáveis. Na sua avaliação, a equipe do tucano está apostando na fórmula da campanha vitoriosa do prefeito Gilberto Kassab (DEM), a de apresentar personagens de várias partes do Brasil e nas histórias do povo.

Para o especialista em pesquisa eleitoral Sidney Kuntz, a eventual influência do horário eleitoral neste pleito poderá ser mensurada no prazo de dez dias. “Se neste período o quadro não se alterar, Dilma deve continuar como favorita. O apelo emocional que o PT trouxe, com Lula pedindo votos para sua candidata, pode fazer a diferença e ampliar ainda mais a vantagem da petista”, avalia Kuntz. No seu entender, o que está em jogo tanto para Serra quanto para Dilma é a capacidade de convencer o eleitorado que eles podem continuar o bom governo de Lula.

O programa na TV da presidenciável do PV, Marina Silva, apostou no meio ambiente e exibiu imagens da destruição do planeta, com narração da candidata e o alerta para a escolha de um dirigente que tenha o foco na solução desses problemas. Em seguida, Marina apresentou-se aos eleitores, trajando um vestido preto, dizendo: “Eu sou Marina.”

O programa do presidenciável Plínio de Arruda Sampaio (PSOL) focou na história do candidato e mostrou a luta dele junto aos movimentos sociais.

Neste primeiro dia de horário eleitoral gratuito na TV, o presidenciável Rui Costa Pimenta (PCO) disse que essa é uma eleição de cartas marcadas, onde Dilma e Serra gastam milhões.

Zé Maria, presidenciável do PSTU, também criticou a polarização do PT e PSDB e voltou a usar o bordão: “Contra burguês, vote 16.”

O candidato Eymael (PSDC) falou de sua biografia, citando que foi deputado Constituinte.

Já Levy Fidelix (PRTB) trouxe o desenho de um aerotrem com seu número de candidato e disse que pretende ser a voz do povo.

Ivan Pinheiro (PCB) disse que pretende propor mudanças radicais pela luta do socialismo.