O presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse hoje, em São Miguel dos Campos, a 60 quilômetros de Maceió (AL), que se sente “envaidecido” pelo excelente desempenho do Produto Interno Bruto (PIB), constatado pela pesquisa do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgada ontem. Lula voltou a repetir que a crise mundial, que gerou mais de 7 milhões de desempregados nos EUA e mais de 8 milhões na Europa, realmente foi uma “marolinha” no Brasil. O presidente disse que o aumento do consumo entre as classes menos favorecidas foi o principal fator para o crescimento do País e para o fato de o Brasil não ter sofrido tanto com a crise econômica.

“O Brasil se encontrou consigo mesmo e hoje não deve mais nada a ninguém. Nos não só pagamos ao Fundo Monetário internacional como emprestamos dinheiro ao FMI”, disse Lula, em discurso durante a cerimônia de assinatura da ordem de serviço para duplicação da BR 101 em Alagoas.

Os recursos para a duplicação da rodovia fazem parte do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) e estão garantidos pelo Ministério dos Transportes. Cerca de 250 quilômetros serão duplicados, a um custo estimado de 1,4 bilhão de reais. Compareceram à cerimônia de assinatura da ordem de serviço os três pré-candidatos ao governo de Alagoas: o atual governador Teotônio Vilela Filho (PSDB), o ex-governador Ronaldo Lessa (PDT) e o senador Fernando Collor de Mello (PTB). Também estavam presentes o ministro dos Transportes, Paulo Passos, e o senador Renan Calheiros (PMDB), além de prefeitos, deputados estaduais e federais.