O presidente da Assembléia Legislativa, Hermas Brandão (PSDB), convidou os líderes dos partidos, do governo e da oposição para uma reunião ontem à noite em sua casa, em Curitiba, onde seriam discutidos assuntos administrativos. Um dos pontos de discussão do encontro, que foi convocado em caráter informal, seria a imagem da Casa arranhada recentemente por conta da polêmica gerada pelo caso das multas devidas pelos carros utilizados pelos deputados que foram pagas com recursos públicos, depois de um desconto pouco usual no valor que baixou de R$ 200 mil para R$ 25 mil. A polêmica aumentou ainda mais depois que a Mesa Executiva se recusou a fornecer os nomes dos deputados que utilizavam os carros multados.

O caso das multas da Assembléia levou o Conselho Estadual de Trânsito a aprovar ontem uma resolução que obriga os órgãos de trânsito no Estado a cumprir o artigo 257 do Código Brasileiro de Trânsito (CBT) e a Resolução 17/98 do Conselho Nacional de Trânsito (Contran). Os textos estabelecem o prazo máximo de 15 dias, contados a partir da notificação, para a identificação do condutor infrator, pelo proprietário do veículo. A Diretran, responsável pela redução das multas dos deputados, não participou da aprovação da resolução.

Grau de exposição

Para o 1.º secretário, o Legislativo é o poder mais criticado por ser o que mais se expôe. “Entre o Judiciário e o Executivo, o Legislativo é o mais aberto. Aqui também é diferente porque ao contrário do Judiciário e do Executivo, não temos um comando. Aqui são 54 chefes”, comentou o deputado.