O líder do PT na Câmara dos Deputados, Vicentinho (SP), pediu nesta tarde provas para que se possa concluir que toda a diretoria sabia do esquema de corrupção na Petrobras. “Estou convencido de que precisamos de provas concretas”, disse o petista ao Broadcast Político.

Segundo o jornal Valor Econômico, a presidente da estatal Graça Foster e toda a direção foram alertadas desde 2008 sobre as irregularidades. A ex-gerente da Diretoria de Abastecimento, Venina Velosa da Fonseca, teria enviado e-mails à atual presidente da empresa denunciando o esquema. A oposição já pede a demissão de Graça e da diretoria da Petrobras.

Vicentinho disse que Graça sempre demonstrou seriedade na condução da empresa. “Tenho confiança nela”, insistiu. O petista defendeu que não haja condenação generalizada da diretoria e que se avalie “caso a caso”.

O deputado Júlio Delgado (PSB-MG), que tenta viabilizar sua candidatura à Presidência da Câmara dos Deputados no próximo biênio, avalia que não é possível eximir o Conselho Administrativo da Petrobras da responsabilidade sobre as irregularidades apontadas na estatal. “Ela (Graça) fica numa condição muito difícil para continuar à frente da Petrobras”, declarou.

Delgado, um dos expoentes do PSB no Congresso, deixou claro que seu partido continuará alinhado com PSDB, DEM e PPS no esforço para a criação no início da próxima legislatura de uma nova CPI que dê continuidade aos trabalhos da Comissão Mista que se encerra na semana que vem. “Fica claro que não temos outra saída a não ser instalar uma nova comissão”, disse.