A ex-reitora da Universidade Oeste do Paraná (Unioeste), Liana Fátima Fuga, afastada há dois anos do cargo sob o pretexto de ter cometido irregularidades na sua administração, enviou uma carta ao governador Roberto Requião (PMDB) explicando as razões pelas quais decidiu recusar o retorno ao posto mesmo depois de ter sido inocentada das acusações. Ela preferiu continuar atuando apenas como professora da Unioeste.

Requião baixou resolução reconduzindo Liana ao cargo por meio do decreto 1773, que foi publicado no diário Oficial do Estado em 1.º de setembro. No decreto, “o governador resolve reintegrá-la ao cargo de professora assistente da Unioeste, bem como à função de reitora daquela instituição; e determinar o pagamento de todas as vantagens pecuniárias que a referida servidora deixou de auferir, em decorrência dos Processos Administrativos”. No mesmo decreto, devido à recusa da professora em aceitar o posto, Requião decidiu manter o professor Ricardo Rocha de Oliveira como reitor pro tempore da Unioeste.

No início da carta enviada ao governador, Liana disse que a sua absolvição e a decisão de Requião de reconduzi-la ao posto apontam a esperança de novos horizontes para ela em benefício da Educação e da formação profissional da juventude. “Isso significa, para mim, resgate da minha dignidade pessoal, por ter-se feito justiça, na mais perfeita acepção do termo”, afirmou.

Eleição

Em sua justificativa, ela lembrou que “nesse momento, desenham-se os preparativos para novo pleito eleitoral na Unioeste, e finaliza-se logo mais o mandato atual, que iniciei, o qual vem sendo muito bem conduzindo pelo professor Ricardo Rocha de Oliveira, reitor pro tempore da Universidade”.

Por este motivo, segundo a ex-reitora, não haveria tempo hábil de desenvolver o trabalho que desejaria executar na Reitoria. “Não haveria tempo suficiente para novas realizações, e para que não haja interferência nesse pleito eleitoral próximo, decidi não ser reinvestida na função de reitora”, disse. Liana Fuga afirmou, porém, que continuará exercendo sua condição de professora da Universidade.

Liana Fuga conclui a carta dizendo: “Reiterando, pois, meu pedido de não ser reinvestida na função de reitora, renovo, nesta oportunidade, meu compromisso de trabalho como o nosso querido Estado do Paraná, com o governo Estadual, com a Unioeste, com a nossa juventude e o nosso povo do Oeste e do Sudoeste paranaenses, com nosso ideal maior, que é a educação”.