Um dia depois de ter ouvido o ex-governador Geraldo Alckmin (PSDB) lhe dizer que será candidato à Prefeitura de São Paulo, o prefeito Gilberto Kassab (DEM) insistiu no discurso de que acredita na manutenção da aliança entre os dois partidos na capital. Na sexta-feira (25), em evento organizado por seu partido, em São Paulo, Kassab negou que as negociações estivessem encerradas e disse que não desistiu de ter o PSDB na aliança já consolidada entre DEM e PMDB. ?Não desisti. Existem muitas pessoas procurando encontrar o caminho para que possamos caminhar juntos ainda no primeiro turno?, afirmou

O prefeito também negou que tenha sido o último encontro com o ex-governador para discutir a aliança e exaltou a ?boa relação? que tem com o tucano. ?A nossa relação é a melhor possível.

Kassab se recusou também a falar sobre os termos de um pacto de convivência pacífica no primeiro turno da eleição a ser firmado entre DEM e PSDB em São Paulo. ?Você já viu um noivo dizer que não quer casar? Não quero falar sobre regras de convivência?, disse, repetindo que acredita na continuidade da aliança com o PSDB.

Diante da afirmação dos repórteres de que a noiva, neste caso, já havia desistido, Kassab desconversou: ?Ela não fechou a porta direito. Eu acredito que vamos estar juntos no primeiro turno?, brincou. Segundo Kassab, não existe mal-estar entre os tucanos e ele por conta da oficialização do apoio do PMDB à sua candidatura. ?A relação entre o PMDB, o DEM e o PSDB é a melhor possível. Aliás é a primeira vez que se consolida em São Paulo essa aliança.? As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.