O juiz da 1ª Vara Criminal de Maringá, Joaquim Pereira Alves, recebeu segunda-feira (dia 2) denúncia do Ministério Público Estadual contra os vereadores Divanir Moreno Tozati e João Alves Correa (“John”) e contra o funcionário público municipal Josemar Aparecido de Lima, assessor de João Alves. Os três foram acusados de corrupção passiva por terem supostamente solicitado dinheiro para trabalhar pela revogação de lei municipal que autorizava o tombamento de prédio da Companhia Melhoramentos Norte do Paraná. Com o recebimento da denúncia, começa o processo criminal contra os envolvidos. O juiz marcou o interrogatório dos três para o próximo dia 20, às 8h45.

A denúncia do MP, protocolada no final de novembro do ano passado, já havia sido recebida no início de dezembro em relação aos demais acusados: o administrador de empresas Aquedemir Pastrelo e o empresário José Luiz Jardim, denunciados por corrupção ativa. Eles já depuseram em juízo, em Arapongas, por meio de Carta Precatória determinada pelo Juízo de Maringá, e já apresentaram o rol de testemunhas que pretendem que sejam ouvidas. Os vereadores e o funcionário público, no entanto, por previsão legal, tiveram a oportunidade de apresentar defesa prévia, antes do recebimento da denúncia, por exercerem cargos públicos. O juiz recusou o pedido de prisão preventiva dos três acusados.