Uma medida cautelar de busca e apreensão na Prefeitura de Nova Tebas foi cumprida na última quarta-feira. A ação, que resultou na apreensão de documentos e computadores, foi feita após decisão do Juízo da comarca de Manoel Ribas, proferido em pedido feito pela Promotoria de Justiça de Defesa do Patrimônio Público local. Também foram realizadas buscas na casa do prefeito Djalma Ferreira de Aguiar, de onde nada foi levado, e na APMI Associação de Proteção à Maternidade e à Infância, onde também foram recolhidos computadores.

O Ministério Público solicitou essas providências para instruir pelo menos três inquéritos civis que tramitam na Promotoria, visando a apurar supostas irregularidades na gestão municipal, sobretudo em relação a procedimentos licitatórios. Informações trazidas ao MP por vereadores de Nova Tebas e outros cidadãos que procuraram a Promotoria davam conta de supostas ilegalidades em vários setores, como saúde, transporte escolar, educação, entre outros, o que motivou a abertura de diversos procedimentos investigatórios. O MP solicitou as buscas porque o município não enviou as informações e documentos requisitados.