A Justiça do Distrito Federal autorizou o trabalho externo ao ex-senador Luiz Estevão, preso desde setembro.

Estevão foi condenado por falsificação de documentos no caso do desvio de dinheiro das obras do Tribunal Regional do Trabalho (TRT) em São Paulo. Preso no final de setembro, o ex-senador começou a cumprir a pena de 3 anos e meio de reclusão em Tremembé, em São Paulo. Posteriormente, foi transferido para o Centro de Detenção Provisória (CDP), em Brasília.

A juíza Leila Cury, da Vara de Execuções Penais do DF, considerou que o trabalho externo é uma possibilidade “de se avaliar a disciplina, autodeterminação e responsabilidade do reeducando antes de uma possível transferência para um regime de pena mais avançado”.

Segundo a defesa de Estevão, o ex-senador vai trabalhar em função de auxiliar em uma imobiliária.

Os dias de trabalho e estudo são computados para descontar o tempo de cumprimento de pena no semiaberto e possibilitam o preso a passar mais rápido para o regime aberto.