O juiz Álvaro Rodrigues Junior, da 10.ª Vara Cível de Londrina determinou o afastamento do vereador Paulo Arildo (PSDB) da Câmara Municipal. Arildo é acusado de improbidade administrativa em ação civil pública movida pelo Ministério Público.

De acordo com os promotores Renato de Lima Castro e Leila Schimiti Voltarelli, o vereador teria se apropriado de parte dos salários de seus assessores. Segundo a denúncia, ao menos três assessores tiveram parte de seus salários retidos durante os anos de 2005 e 2006.

O juiz aceitou o pedido de afastamento do vereador para garantir pleno andamento do processo, uma vez que, na Câmara, o réu teria fácil acesso e possibilidade de manipular testemunhas e documentos que pode ser provas.

“Diante das provas carreadas aos autos, a manutenção do réu Arildo em seu cargo ofende a moralidade pública e abala a confiança social no Poder Legislativo local”, acrescenta o juiz em seu despacho.

Arildo não comentou a decisão e disse que já acionou seus advogados para saber que medida tomará. Ele tem 15 dias para apresentar a defesa por escrito e continuará recebendo salários enquanto o afastamento for temporário.