Foto: Antônio Cruz/Agência Brasil

José Janene é acusado de receber R$ 4,1 milhões de Marcos Valério.

O processo contra o deputado José Janene (PP-PR) será colocado em votação no plenário da Câmara dos Deputados apenas após as eleições. Segundo o presidente da Câmara, Aldo Rebelo (PCdoB-SP), não há quórum qualificado para votar processo de perda de mandato antes das eleições.

?Não vou pôr processo de julgamento de perda de mandato com o quórum que nós temos tido neste período pré-eleitoral?, afirmou Aldo. A próxima sessão de esforço concentrado do Congresso é 4, 5 e 6 de setembro.

Janene é o último parlamentar acusado de envolvimento no chamado ?valerioduto? a ser julgado. Ele é acusado de ter recebido mais de R$ 4,1 milhões de Marcos Valério.

Em 2005, as comissões parlamentares mistas de inquérito (CPMIs) dos Correios e da Compra de Votos citaram 19 deputados como beneficiários de recursos do empresário Marcos Valério de Souza. Dentre os citados, quatro renunciaram ao mandato para fugir do processo de cassação: Carlos Rodrigues (PL-RJ), José Borba (PMDB-PR), Paulo Rocha (PT-PA) e Waldemar Costa Neto (PL-SP). Três foram cassados: Roberto Jefferson (PTB-RJ), José Dirceu (PT-SP) e Pedro Corrêa (PP-PE).

Os outros 11 foram absolvidos no plenário da Câmara: Vadão Gomes (PP-SP), João Paulo Cunha (PT-SP), João Magno (PT-MG), José Mentor (PT-SP), Josias Gomes (PT-BA), Pedro Henry (PP-MT), Professor Luizinho (PT-SP), Wanderval Santos (PL-SP), Roberto Brant (PFL-MG), Romeu Queiroz (PTB-MG) e Sandro Mabel (PL-GO).