Divulgação/PMDB
Presidente estadual do PMDB, Waldyr Pugliesi viajou com o governador Beto Richa para Arapongas. 

A incorporação do PMDB à base do governo Beto Richa (PSDB) está melindrando os deputados tucanos. Nesta terça-feira foi cancelado um jantar que estava sendo organizado pelo deputado Alexandre Curi (PMDB), que teria como convidados o governador Beto Richa e a bancada de peemedebistas.

Oficialmente, o encontro foi cancelado devido a outros compromissos de Beto. Mas nos bastidores, a versão é outra. Os deputados tucanos abortaram o encontro que poderia resultar na adesão oficial de mais dois deputados peemedebistas à base aliada, Nereu Moura e Caito Quintana.

Dos treze deputados do PMDB, sete já são considerados aliados do governo na Assembleia Legislativa. Moura, Quintana, Ademir Bier, Antonio Anibelli Neto e Waldyr Pugliesi estão fora do grupo. Mas Beto já vem conversando com Moura e Quintana para que se aproximem da base.

Para os deputados tucanos, é má ideia. Os dois são adversários históricos adversários do PSDB em suas bases eleitorais e se entrarem no bloco vão ter direito a nomeações regionais das quais os tucanos não pretendem abrir mão.

À vontade

O líder do governo na Assembleia Legislativa, Ademar Traiano, disse que não há razão para o governador se negar a se reunir com os peemedebistas. Mas fez uma ressalva. “O Beto vai ter a sabedoria de respeitar os deputados que estão na base de apoio”, disse o líder do governo.

O trânsito dos peemedebistas no novo governo, que se mostram à vontade na posição de aliados, provocou uma declaração irônica do líder. “Alguns transitam mais fácil do que nós no governo”, disse Traiano, lembrando que na época em que ele e Valdir Rossoni faziam oposição ao governo peemedebista, a relação com o governo era diferente. “Eu tinha medo de entrar no Palácio Iguaçu”, comparou.

O presidente estadual do PMDB, Waldyr Pugliesi, disse que nem sabia do jantar, mas que sempre foi amigo de Beto e de seu pai, o ex-governador José Richa.  “Fui deputado junto com ele”, disse Pugliesi, que viajou segunda-feira à tarde com o governador para Arapongas, onde é pré-candidato a prefeito.

Pugliesi viajou até Arapongas e retornou à Curitiba junto com o governador Beto Richa e o chefe da Casa Civil, Durval Amaral. Eles foram visitar uma feira de móveis da cidade. Pugliesi afirmou que pegou uma carona com o governador porque somente indo de avião conseguiria comparecer à Assembleia Legislativa e ir a Arapongas no mesmo dia.