O presidente da Câmara, deputado Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN), convocou uma reunião da Mesa Diretora para esta quarta-feira, 20, para discutir a situação do deputado federal licenciado José Genoino (PT-SP), condenado no processo do mensalão e preso desde sexta-feira, 15, por ordem do Supremo Tribunal Federal (STF). “Convoquei amanhã a Mesa, às 9 horas, para discutir a matéria”, afirmou Alves, ao deixar o plenário.

Alves reclamou, em plenário, do fato de até agora o STF não ter comunicado a Casa oficialmente da prisão do parlamentar, após acompanhar discurso do líder do PT, José Guimarães (CE), irmão de Genoino. “Causa estranheza essa Casa não ter recebido, nem antes, nem durante, nem depois, nenhuma comunicação, mesmo que por dever protocolar”, disse Alves

A Mesa discutirá se encaminha para a Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania (CCJC) a discussão sobre a perda do mandato, para assim ser oferecido um parecer que será levado a plenário. A tese de perda imediata do mandato, defendida pela oposição, tem poucas chances de avançar.

A Mesa decidirá ainda se suspenderá ou não o pagamento do salário de Genoino até o julgamento. Tal medida foi tomada no caso de Natan Donadon, preso desde junho e que acabou absolvido em plenário. Genoino pediu em setembro aposentadoria por invalidez, mas somente em janeiro de 2014 uma junta médica fará nova análise sobre este tema.