Quase três mil sem-terra brasiguaios terão que desocupar as duas margens da BR-163, entre os km 91 e 92 da rodovia, em Mato Grosso do Sul, onde montaram o que chamam de “cidade de lona Antônio Irmão”. A desocupação foi solicitada pelo Departamento Nacional de InfraEstrutura e Transportes (Dnit) e determinada pelo juiz federal Joaquim Eurípedes Alves Pinto, devido à duplicação da estrada. O prazo para desocupação da área termina no próximo dia 18 de novembro.

No acampamento, instalado nas proximidades da cidade de Itaquiraí, extremo sul do Estado, na divisa com o Paraguai, vivem pelo menos 600 grupos familiares. A maioria não possui documentação paraguaia, o que vai dificultar o assentamento dessas famílias em projetos agrícolas do Governo Federal.

O coordenador estadual do Movimento dos Sem-terra (MST), Egydio Bruneto, afirmou que a medida é “truculenta” e pode ser amenizada com o cumprimento das promessas feitas aos sem-terra do lugar. A principal delas é o transporte do material deles e do posto de saúde e das sedes comerciais. O lugar para montagem do novo acampamento ainda não foi escolhido.