O governo confirmou ontem a injeção de dinheiro para fechar a conta do sistema de transporte coletivo integrado da Região Metropolitana de Curitiba, que atende a população de 13 municípios. Convênio firmado entre a Coordenação da Região Metropolitana de Curitiba (Comec) e a prefeitura de Curitiba prevê repasse de R$ 64 milhões do Estado, em 12 meses, para o Fundo de Urbanização de Curitiba (FUC).

O objetivo da medida é assegurar o equilíbrio econômico-financeiro do sistema, cobrindo a diferença no custo por passageiro da Rede Integrada de Transporte (RIT), responsável por 73% da demanda por transporte coletivo da região metropolitana, diz o governo.

Mensalmente, são 5,4 milhões de passageiros de municípios no entorno de Curitiba que se deslocam na frota de 697 ônibus distribuídos em 105 linhas. As integradas têm tarifa única. Segundo o governo, “o convênio atende à necessidade dos usuários da região metropolitana e de Curitiba, porque a sustentabilidade do sistema de transporte não pode ser diferenciada entre urbano e metropolitano”.

A frota da rede integrada percorre diariamente 490 mil quilômetros, totalizando 21 mil viagens. São atendidos Curitiba, Araucária, Fazenda Rio Grande, Campo Largo, Campo Magro, Rio Branco do Sul, Itaperuçu, Almirante Tamandaré, Colombo, Bocaiúva do Sul, Pinhais, Piraquara, São José dos Pinhais e Contenda.