O presidente nacional do PT, deputado estadual Rui Falcão (SP), afirmou nesta segunda-feira, em nota oficial, que os resultados das pesquisas do Instituto Datafolha, divulgadas na sábado (7) e hoje, sobre a popularidade da presidente Dilma Rousseff e a preferência dos eleitores por partidos, são “naturais, diante das campanhas da oposição e da mídia”, que, de acordo com ele, “há muito tempo apregoam uma derrocada econômica e a criminalização do PT”. Falcão disse também que o governo “entrará numa agenda positiva rapidamente”.

Segundo o levantamento, a avaliação “ótimo/bom” da presidente caiu de 42% em dezembro para 23% e a “ruim/péssimo” subiu de 24% para 44%. A sondagem mostra ainda que o PT, legenda de Dilma, lidera a preferência dos entrevistados, com 12%. Em seguida, vem o PSDB, com 5%. Na pesquisa anterior, o PT tinha 22% e o PSDB, 7%.

“Desde a campanha eleitoral não temos tido contrapontos em rede nacional. Nossa leitura, para as duas avaliações, é a seguinte: no caso do nosso governo, temos muito o que mostrar e entraremos em uma agenda positiva rapidamente e, no caso do PT, apesar da queda generalizada da simpatia pelos partidos políticos, o PT, com 12% das aprovações espontâneas, continua muito à frente dos demais”, afirmou Falcão, no comunicado.

O presidente nacional do PT e deputado estadual por São Paulo disse que a sigla está “muito à frente inclusive do segundo colocado (PSDB), que como sempre tem menos da metade do nosso índice de aprovação”. “Curioso inclusive que mesmo com toda a campanha, a oposição liderada pelo PSDB não cresceu. Nós vamos virar o jogo, podem ter a certeza disso”, finalizou.