O ministro Guido Mantega e os líderes da base aliada estão reunidos agora para discutir e negociar a votação da prorrogação da Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira (CPMF), prevista para hoje à tarde. O deputado Beto Albuquerque (PSB-RS) que teve de sair da reunião por que tinha outro compromisso, destacou que a CPMF é necessária porque o País tem uma dívida de R$ 1,17 trilhão.

"Não temos vocação de caloteiros. Enquanto tiver dívida, tem de ter receita", disse. A líder do PT, Ideli Salvatti (PT-SC), disse que defende a prorrogação da CPMF nos atuais termos, inclusive, com suas destinações específicas. "Mas defendo que o governo continue com desonerações", afirmou, mencionando a possibilidade de desoneração da folha de pagamentos.