Foto: Agência Brasil
Chinaglia: preocupado com o confronto no debate.

?O ideal é com os três?, afirmou. Chinaglia não quer o confronto entre os três candidatos ao mesmo tempo e propôs que sejam feitos três debates, cada um com dois candidatos. ?Isso é uma forma de inviabilizar o debate?, afirmou Fruet.

O tucano disse que, em caso ?extremo?, ele concordaria com isso e proporia que o primeiro debate fosse entre ele e Chinaglia. Além de Fruet e Chinaglia, o presidente da Câmara, Aldo Rebelo (PCdoB-SP), também concorre à reeleição.

Segundo Fruet, essa proposta de Chinaglia parte do pressuposto de que os veículos de comunicação não são sérios, além de transmitir a imagem de que o debate não será qualificado. Fruet considerou que, no debate, poderá sair, por exemplo, um compromisso dos três por uma pauta positiva para a Casa.

Mas ontem Chinaglia voltou a demonstrar que apesar de ter confirmado participação no debate da TV Câmara, não quer enfrentar o diálogo com o presidente da Casa, Aldo Rebelo (PC do B-SP), e o candidato Gustavo Fruet (PSDB-PR) ao mesmo tempo. Rebelo manteve, oficialmente, o debate, que deverá acontecer na quarta (24) ou quinta-feira (25).

Aldo Rebelo disse estar surpreso com a proposta do candidato do PT de São Paulo a presidente da Câmara porque o que ficou acertado, numa reunião ontem mesmo com ele, era a participação do petista no debate. Na segunda-feira (22), os assessores dos três candidatos deverão reunir-se para tratar das regras e definir a data. 

O deputado Gustavo Fruet (PSDB-PR), candidato à presidência da Câmara, afirmou que o candidato Arlindo Chinaglia (PT-SP) quer inviabilizar o debate entre dois dos três concorrentes.