Os ex-gerentes da agência do Banestado em Nova York Valdir Antônio Perin e Ércio de Paula Santos devem prestar depoimento a CPI do Banestado na Assembléia Legislativa na segunda-feira. A presença de ambos foi determinada pelo juiz da 2.ª Vara Federal Criminal de Curitiba, Sérgio Moro, em resposta a solicitação da própria CPI na última quarta-feira.

Os dois estavam convocados para aquele dia, mas não compareceram. Foram representados pelo advogado Alessandro Silvério, que apresentou como condição da presença de seus clientes no plenarinho a preservação do direito de imagem. Estabeleceu-se um conflito entre o advogado e o presidente da comissão, deputado Neivo Beraldin, tumultuando a sessão e fazendo com que ela fosse suspensa. Considerando o comportamento do advogado desrespeitoso em relação à CPI, bem como a ausência dos depoentes convocados, Beraldin decidiu encaminhar à Justiça um pedido de prisão preventiva de ambos.

O juiz não concedeu a prisão, mas determinou seu comparecimento no dia 11 de agosto, às 10h. Perin e Ércio de Paula compareceram à 2.ª Vara, onde assinaram compromisso de comparecer na data e local indicados

A CPI está investigando o possível envolvimento dos convocados no esquema de envio de dinheiro ilegal via contas CC5, através da agência de Nova York.

Também foi convocado a depor na mesma sessão o ex-gerente de câmbio do Banestado, Eraldo Ferreira, que atuava na captação de investimentos para a agência de NY.

OAB

Em função do entrevero na sessão da última quarta-feira, a de segunda-feira promete ser movimentada. A OAB de Curitiba decidiu designar o advogado Elias Mattar Assad, presidente da Comissão de Prerrogativas Profissionais e Fiscalização do Exercício Profissional da subseção para acompanhar, como observador, os trabalhos da CPI. Sua presença atende solicitação dos advogados Cláudio Daledone Júnior, Antonio Augusto Figueiredo Basto e Alessandro Silvério.

O presidente do Banco Itaú, Roberto Egydio Setúbal, foi ouvido pela CPI no dia seguinte ao incidente e se fez acompanhar, sem problemas, por uma equipe de advogados da assessoria jurídica do banco e do escritório do professor Rene Dotti. Todos puderam se manifestar e suas intervenções foram consideradas importantes para o esclarecimento de dúvidas a respeito do processo de privatização do Banestado.

Perin já depôs à comissão parlamentar em quatro ocasiões, mas suas explicações sobre as operações da agência de Nova York foram consideradas insatisfatórias. Ele chegou a ser interrogado pelo delegado Castilho Neto e pelo perito Renato Barbosa, da Polícia Federal.

Paranaenses convocados

Os integrantes da Comissão Parlamentar Mista que investiga a remessa ilegal de divisas por meio de contas CC5 vai receber informações sobre as investigações feitas por comissão da Assembléia Legislativa do Paraná. Este é o objetivo dos depoimentos dos deputados estaduais paranaenses Neivo Beraldin e Mário Sérgio Bradock, marcados para terça-feira (12/08), a partir das 9h.

Senadores e deputados federais que integram a CPI do Banestado estiveram no Paraná, há três semanas, para encontro com procuradores e técnicos que investigam os esquemas de remessa ilegal e lavagem de recursos. Já na ocasião, o presidente da comissão, senador Antero Paes de Barros (PSDB-MT), afirmou que os deputados estaduais, presidente e relator da comissão paranaense, seriam chamados a depor: “Queremos que eles nos encaminhem também os documentos e depoimentos que colheram ” afirmou Antero.