enkontra.com
Fechar busca

Política

Ex-deputados não se elegem vereadores e prefeitos

  • Por Elizabete Castro

Não foi um bom ano eleitoral para os veteranos de um ou mais mandatos anteriores que tentaram um retorno à vida parlamentar como vereadores nas eleições de domingo passado.

De um grupo de sete ex-deputados que buscaram ressuscitar politicamente no dia 5 de outubro, em Curitiba e no interior do Estado, somente um foi bem sucedido.

O ex-deputado estadual Algaci Túlio, agora no PMDB, foi o único a ser eleito vereador, em Curitiba, depois de um jejum político de vários anos. Com 4.084 votos, irá compor uma bancada de dois com a vereadora eleita Noêmia “da Assembléia”, que é membro da congregação Assembléia de Deus.

Entre os que caíram e não conseguiram se levantar estão o ex-deputado federal Iris Simões (PR) e os ex-deputados estaduais Dirceu Manfrinato (PTB), Julio Ando (PMDB), Amadeo Geara (PV) e Mário Bradock (PMDB).

Desde que deixou a Assembléia Legislativa, no final da década de 80, Manfrinato não mais conseguiu voltar. Ele tentou outras eleições para a Assembléia Legislativa e fracassou.

Disputou também a prefeitura de Cianorte. Não deu certo. Este ano, sua meta era se eleger vereador em Cianorte, no noroeste do Estado, mas não obteve a vaga, apesar de ter feito 1.086 votos.

Aliocha Mauricio
Mário Bradock: não foi possível.

Do interior do Estado, também soçobrou nas urnas o ex-deputado Marcos Alves (PRP), que concorreu a vereador em Maringá. Filho do ex-deputado José Alves, que morreu de infarto em seu gabinete na Assembléia Legislativa na década de 90, Marcos Alves foi eleito para a legislatura seguinte. Entretanto, nestas eleições fez apenas 969 votos e está sem mandato.

O ex-deputado estadual Marcio Almeida, nome respeitado da política do norte do Estado na década de 80, tentou uma vaga na Câmara Municipal de Londrina este ano pelo PSDB. Ele fez 2.476 votos. Não foram suficientes.

Emblema

Iris Simões é um caso emblemático de político com dificuldades para refazer a carreira, interrompida por um contratempo eleitoral. Ex-presidente da Câmara Municipal de Curitiba, deputado federal eleito com folga para a Câmara dos Deputados por duas vezes, Simões está longe do parlamento desde 2006, quando ficou na suplência de deputado federal. Nesta eleição, era considerada quase certa sua vitória como vereador. Iris fez 4018 votos e não entrou.

Arquivo
Geara não voltou à Câmara.

Outro caso de fracasso nas urnas foi o do ex-deputado estadual Mário Bradock (PMDB). Delegado de polícia, Bradock ficou famoso na Assembléia Legislativa por vestir-se sempre com roupas de estampa camuflada, como se estivesse numa brigada militar. Mas em 2006 ele foi obrigado a parar no primeiro mandato. O segundo não veio e o de vereador também não foi possível. Ele fez 1.018 votos.

O ex-deputado Amadeu Geara concorreu pelo PV. Obteve 2.216 votos, mas não conseguiu a vaga. Julio Ando, ex-vereador de Curitiba, ex-deputado estadual da legislatura de 94 a 98, fez 2.130 votos este ano e não voltou à Câmara Municipal.

Geara foi o adversário do governador Roberto Requião na famosa convenção peemedebista de 1984. Geara tinha o apoio do governador José Richa e perdeu a indicação para concorrer a prefeito de Curitiba para Requião, que venceu a eleição, derrotando o ex-governador Jaime Lerner.

Tentaram ser prefeito. Mas não deu certo

Passar de deputado a prefeito também não é fácil. Por enquanto, o pedetista Edgar Bueno foi o único entre os treze deputados estaduais que passou no teste das urnas no domingo passado, dia 5.

O deputado An,tonio Belinati (PP) ainda tem chance, já que disputa o segundo turno em Londrina com o deputado federal Luiz Carlos Hauly (PSDB). Hauly também foi o único entre os três representantes do Paraná que ainda tem a oportunidade de se eleger. Os outros dois, André Vargas (PT) e Barbosa Neto (PDT) foram derrotados no primeiro turno em Londrina.

Bueno foi eleito em Cascavel, onde não há segundo turno. Os demais deputados já estão de volta à Assembléia Legislativa. Ênio Verri (PT) perdeu a eleição em Maringá e está retornando à Secretaria do Planejamento a partir da próxima semana.

Como o primeiro suplente do PT, professor Luizão, elegeu-se prefeito de Pinhais, na Região Metropolitana de Curitiba, o lugar de Verri ficará com o segundo suplente, professor José Lemos.

De Maringá, também está na lista dos perdedores o deputado Dr. Batista (PMN). Os demais que não se elegeram são Rosane Ferreira, do PV, em Araucária, Jocelito Canto (PTB), em Ponta Grossa, Cleiton Kielse (PMDB), em Curitiba, Reni Pereira (PSB), em Foz do Iguaçu, Elton Welter (PT), em Toledo, Luiz Eduardo Cheida (PMDB), em Londrina, Fábio Camargo (PTB), em Curitiba e Pedro Ivo Ilkiv (PT), em União da Vitória, Beti Pavin (PMDB).

Siga a Tribuna do Paraná
e acompanhe mais novidades

Últimas Notícias

Mais comentadas