Em mais um gesto de aproximação em relação ao Brasil, a Casa Branca anunciou na manhã desta segunda-feira, 8, que o vice-presidente Joe Biden participará da cerimônia de posse da presidente Dilma Rousseff, no dia 1º de janeiro em Brasília.

Biden esteve no Brasil durante a Copa do Mundo, em junho, e tem sido o principal interlocutor de seu governo nos esforços de reconstrução dos laços com o governo Dilma, abalados com a revelação de espionagem da presidente. Documentos divulgados pelo ex-contratado da NSA (Agência de Segurança Nacional) Edward Snowden mostraram que os EUA monitoraram comunicações de Dilma e espionaram a Petrobras e cidadãos brasileiros.

O escândalo levou a presidente a cancelar a visita de Estado que faria a Washington em outubro de 2013, uma decisão sem precedentes.

O gelo na relação começou a ser quebrado em março, quando Biden e Dilma dividiram a mesma mesa na cerimônia de posse da presidente do China, Michelle Bachelet. Em junho, ambos se reuniram em Brasília.

Depois de sua reeleição, Dilma anunciou que está disposta a aceitar o convite para visitar os EUA, o que pode acontecer no primeiro semestre de 2015. Ela e o presidente Barack Obama conversaram rapidamente na Austrália no mês passado, durante reunião de países do G20. Foi a primeira vez em que os dois líderes falaram pessoalmente desde o escândalo da NSA.