A entrevista do senador boliviano Roger Pinto Molina prevista para as 15 horas desta terça-feira, 27, na Comissão de Relações Exteriores e Defesa Nacional (CRE) do Senado está cancelada. A suspensão ocorreu a pedido do advogado Fernando Tibúrcio Peña, que está realizando a defesa de Pinto Molina. O advogado conversou com o presidente da CRE, senador Ricardo Ferraço (PMDB-ES), e argumentou que seria melhor cancelar a audiência devido aos “últimos desdobramentos”, ou seja, devido à queda de Antonio Patriota do comando do Ministério das Relações Exteriores (MRE). O cancelamento foi confirmado pela equipe de Ferraço. Não foi marcada nova data para essa audiência.

Pinto Molina chegou ao Brasil no último sábado, 24. Ele estava na missão diplomática do Brasil em La Paz desde maio de 2012, onde tinha obtido asilo, mas a Bolívia se recusava a conceder autorização para que o senador viajasse. Na sexta-feira, 23, foi retirado da embaixada em um veículo diplomático, escoltado por militares brasileiros, e chegou a Corumbá (MS) no sábado após 22 horas de viagem. Segundo relato do presidente da CRE, o parlamentar boliviano viajou em uma comitiva de dois carros com placas consulares, acompanhado do encarregado de negócios da embaixada brasileira em La Paz, Eduardo Sabóia.

Desgastado com a fuga do senador boliviano, o chanceler Antonio Patriota perdeu o cargo na segunda-feira, 26. A queda foi desencadeada pela operação para liberar Pinto Molina da Embaixada do Brasil em La Paz. Para a presidente Dilma Rousseff, foi um “gravíssimo episódio”. Ela, inclusive, já escolheu o novo titular do MRE: será Luiz Alberto Figueiredo, que até agora ocupava o cargo de embaixador do Brasil nas Nações Unidas (ONU).