O ex-governador de São Paulo Orestes Quércia (PMDB) anunciou hoje, oficialmente, que deixa a disputa por uma vaga no Senado nas eleições de outubro. O peemedebista vai se dedicar ao tratamento do câncer na próstata, que havia sido tratado há mais de uma década, mas que foi novamente diagnosticado. Em carta aberta ao partido, à Coligação Unidos por São Paulo (PMDB, PSDB, DEM, PPS, PHS, PMN, PSC) e aos eleitores, Quércia afirma que o PMDB passa, agora, a apoiar a candidatura de Aloysio Nunes Ferreira (PSDB) ao Senado.

Na carta divulgada no início desta tarde, Quércia reitera seu apoio ao candidato ao governo de São Paulo pelo PSDB, Geraldo Alckmin, ao vice, Guilherme Afif Domingos, ao prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab (DEM), e ao presidenciável José Serra (PSDB). Além disso, exalta o candidato Aloysio Nunes ao Senado, a quem passará a apoiar a partir de agora. “Ele (Aloysio) reúne todas as condições de representar São Paulo no Senado da República, pela sua história, seu compromisso com São Paulo e pela forma como ajudou o governo José Serra a desenvolver seu trabalho.”

O peemedebista também agradeceu sua família e os eleitores pelo apoio que tem recebido, sobretudo, quando teve que se afastar da campanha nas ruas. “Entendo que essa atitude, nesse momento, apesar de difícil, é a mais correta a bem dos interesses da coligação, do meu partido, do meu Estado e de meu interesse em recuperar minha saúde”, disse.

Quércia deixa a disputa bem colocado nas sondagens de intenção de voto. Pesquisa Ibope/Estadão/TV Globo realizada entre os dias 31 de agosto e 2 de setembro mostra Netinho de Paula (PCdoB) empatado tecnicamente com Quércia, com, respectivamente, 26% e 23% das intenções de voto. De acordo com a pesquisa, Marta Suplicy (PT) segue na liderança com 36%. O senador Romeu Tuma (PTB) tem 13% e Aloysio, 12%.

Quércia deu entrada no Hospital Sírio-Libanês, em São Paulo, na última terça-feira. A equipe médica diagnosticou “a recidiva de um tumor de próstata”. Boletim divulgado pelo hospital no mesmo dia da internação de Quércia informava que o tratamento já havia sido iniciado.