Com o objetivo de criar um novo partido político, dissidentes do PT e do PSTU estarão reunidos hoje em Curitiba para discutir as propostas da nova legenda, que deverá surgir como uma alternativa de esquerda. A intenção é formar núcleos de organização em todos os estados, já que a discussão é nacional.

De acordo com Diego Sturdze, presidente estadual do PSTU, a formação desse novo partido deve ocorrer principalmente com a união entre dissidentes do PT, que discordam da atuação do governo Lula na área social e econômica, e o PSTU, que vem reivindicando uma linha social mais atuante do atual governo.

“Não queremos acelerar um processo, discutindo agora qual o nome da legenda. Primeiro estamos construindo um movimento para debater a formação de um novo partido. Vamos levar de um a dois anos para a concepção do programa, já que nossa meta não é construir uma nova legenda eleitoral”, explica Sturdze. A discussão já aconteceu no Rio de Janeiro, São Paulo, Maceió, Goiânia, Belo Horizonte, Recife, Ribeirão Preto, Bauru e Porto Alegre. Amanhã ela está marcada para Florianópolis, e no dia 22 em Salvador.

Em Curitiba, foram convidados para compor a mesa de debates o presidente nacional do PSTU, José Maria de Almeida, ex-candidato à presidência da República; Francisco de Oliveira, ex-presidente do Sindicato dos Professores da UFPR; e Gilberto Félix de Souza, coordenador do comando de greve da Previdência. Os dois são ex-filiados do PT.