Com bens bloqueados desde o último dia 10 de novembro após decisão da Justiça Federal, o diretor da empresa Queiroz Galvão Othon Zanoide de Moraes Filho apresentou nesta quarta-feira, por meio de seus advogados, pedido para ter acesso ao salário pago pela empreiteira, no mês passado.

“Destaque-se que, quando da decisão de bloqueio dos valores, este D. Juízo bem ressaltou a possível apreciação futura de desbloqueio de valores, mediante requerimento da parte, caso haja bloqueio de valores atinentes a salário”, alegam os advogados de Moraes Filho na petição. Em anexo, os defensores do diretor apresentam recibo de pagamento da Queiroz Galvão referente ao último mês de novembro no valor líquido de R$ 94.658,90.

Nesta quarta-feira, o ex-diretor da estatal Renato Duque também apresentou por meio de seus advogados um pedido para ter acesso a recursos de que dispõe no Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS), referentes ao período em que trabalhou na Petrobrás. Conforme extrato bancário anexado na petição pelos advogados, Renato Duque recebeu três créditos sob a rubrica “CRED FGTS”, nos montantes de R$ 502.255,72, R$ 54.220,10 e R$ 20.403,07, totalizando R$ 576.878,89.

Responsável por conduzir as ações da Operação Lava Jato, o juiz Sérgio Moro determinou que fossem bloqueados até R$ 20 milhões das contas de cada investigado por formação de cartel, corrupção, fraudes em contratos e lavagem de dinheiro na Lava Jato.