Por segurança, há uma rede de telefones criptografados instalada na Esplanada dos Ministérios. Por eles, a presidente Dilma Rousseff pode se comunicar com seus principais auxiliares. Porém, o aparelho fica às moscas. “De vez em quando, liga um técnico para saber se o telefone está funcionando direito”, contou o ministro das Comunicações, Paulo Bernardo, em reunião no Senado. “Mas a presidenta mesmo nunca me ligou nele; ela liga do celular dela para o meu.”

A comunicação por celular é bastante frágil do ponto de vista de segurança, admitiu Bernardo. Isso, porém, não chega a ser um problema. Nada de extremamente sigiloso é conversado pelo telefone.