Durante visita de Estado à Colômbia, nesta sexta-feira, 9, a presidente Dilma Rousseff iniciou sua declaração conjunta exaltando a “decisão corajosa” do presidente Juan Manuel Santos em implementar um processo de paz com as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc). “Abrir esse processo é um orgulho para a América do Sul. O êxito das negociações transcende as fronteiras da Colômbia e é exemplo para o mundo”, afirmou.

Dilma ressaltou o alinhamento entre Brasil e Colômbia, que, segundo ela, se encontram em um continente que não representa o poder da guerra, mas que acredita na cooperação para a mudança. Ela ressaltou ainda a disposição do Brasil em colaborar com o processo de reconstrução de áreas que sofreram por décadas com o conflito entre o Estado colombiano e os guerrilheiros. “Seja com a nossa experiência com o Plano Nacional de Agricultura ou com temas de infraestrutura e enfoque em inclusão social, que podem facilitar bastante o desenvolvimento de áreas que até há pouco estavam em conflito”, pontuou.

A presidente abordou também acordos firmados no âmbito de meio ambiente e desenvolvimento sustentável. Assim como o colega colombiano, ela destacou o fato de Brasil e Colômbia serem os dois países com maior biodiversidade no planeta, o que amplia a importância dos acordos bilaterais firmados. “Em termos multilaterais, demos um passo muito importante para o encontro da COP 21, em Paris”, afirmou. Segundo ela, a disposição dos dois países para atuar e preservar a riqueza ambiental e a biodiversidade da região, inclusive da Amazônia, é importante para a sustentabilidade de todo o mundo.

Entre os acordos firmados nesta sexta-feira estão questões indígenas, de fronteiras, pesquisa, desenvolvimento agrário, facilitação de comércio, logística e transporte fluvial, além de facilitar exportações de setores automotivos e têxtil.

O presidente colombiano comentou que a visita foi bastante produtiva e que os dois países podem avançar nas relações bilaterais. “Somos os dois países mais populosos e as duas maiores economias da América do Sul, além de sermos os dois países do mundo com maior biodiversidade”, disse. Santos afirmou que, tendo em vista o momento difícil pelo qual passa a economia global, os dois países podem se ajudar. “O potencial para incrementar o fluxo de comércio é enorme”. Ele citou ainda que a Colômbia tem muito a aprender com o Brasil na área agrícola, tanto na agroindústria como na agricultura familiar.