A presidente Dilma Rousseff deu uma bronca na sua equipe durante sua apresentação no XII Fórum dos Governadores do Nordeste, que ocorre em Barra dos Coqueiros, município próximo a Aracaju, em Sergipe. Dilma citava experiências que disse considerar de sucesso, como Arranjos Produtivos Locais (APLs) no Nordeste.
“Há de se dar suporte e fazer com que se reproduzam experiências de sucesso, como é o caso de Botirama, não é Eduardo (Campos, governador de Pernambuco pelo PSB)?”, indagou a presidente, que logo foi corrigida por ele quanto ao nome do município pernambucano.

Diante da observação, Dilma não se conteve: “Não é Botirama? Eu falei para vocês que não é Botirama. Vocês vejam o que é uma ótima assessoria. Eles acharam esse Botirama na internet”, disse a presidente.
A cidade que Dilma queria citar é Toritama, no semiárido de Pernambuco, conhecida por ser polo de confecção de jeans. A presidente também falou da criação de uma Secretaria Nacional de Irrigação e voltou a citar o Ministério de Micro e Pequenas Empresas, uma de suas promessas de campanha.

Cortes

Dilma também afirmou na abertura do XII Fórum dos Governadores do Nordeste, que o corte de R$ 50 bilhões previsto por sua administração no orçamento deste ano vai preservar os investimentos, sobretudo nesta região.

Para estimular ainda mais o desenvolvimento, ela adiantou que irá enviar ao Congresso Nacional projeto de lei prorrogando os incentivos do Imposto de Renda para investimentos naquela região. A medida já está em vigor, mas vence em 2013, a ideia é estender o benefício até 2018 para dar mais segurança aos investidores.
Ao falar de economia, a presidente salientou que sua gestão empreenderá todos os esforços para manter a pressão inflacionária sob controle, disse que espera a aprovação do projeto do salário mínimo no Senado (a previsão de votação é nesta quarta-feira) e falou que se não fosse a guerra fiscal, muitos investimentos não iriam para o Nordeste. Apesar da afirmativa, ela reconheceu que essa não e nem será a melhor forma de atrair investimento.
Na abertura do fórum, ela agradeceu o povo do Nordeste pela expressiva votação que teve na região, na campanha presidencial do ano passado. “O Nordeste é o grande desafio da minha gestão, como foi da gestão do presidente Lula”, frisou.

Segundo ela, a região representa o resgate de uma parcela do Brasil e ajudou a segurar o País na crise financeira global. “Não há uma solução para o Brasil sem uma solução para o Nordeste”.
Dilma disse que avançar na distribuição de renda e no combate às desigualdades no Nordeste é crucial para o País erradicar a miséria.

“O grande desafio que temos pela frente é fazer um pouco mais aqui, porque é preciso manter o PIB crescendo a taxas acima do nacional. A pobreza no Brasil tem uma certidão de nascimento que privilegia, infelizmente, essa região do País. Por isso tenho este compromisso de alma com a região.”
Desde que assumiu a Presidência da República, essa é a primeira vez que ela retorna à região.