Surgiu na bancada do PPS o primeiro sinal de desconforto com a incorporação dos doze deputados do PMDB à base do governo na Assembleia Legislativa. Os três deputados que integram a bancada do PPS na Assembléia Legislativa , Marcelo Rangel, Douglas Fabrício e César Silvestri Filho, anunciaram nesta quinta-feira, 11, que vão procurar o governador Beto Richa (PSDB) para saber melhor sobre as novas relações entre tucanos e peemedebistas.

Há na bancado do PPS um sentimento predominante entre os três deputados sobre as dificuldades de receber como aliado quem foi inimigo até ontem. Para o deputado César Silvestri filho, deve haver tratamento diferenciado entre aqueles que estiveram na aliança de apoio à candidatura de Beto ao governo e os neoaliados.

“Entendemos que o governador tem um perfil aglutinador e que isso tem dado certo. Mas o PPS esteve ao lado dele durante a campanha e tem tido uma postura de defesa no governo na Assembléia desde o começo do mandato. Portanto, nada mais justo que tenhamos um tratamento diferenciado”, disse o deputado, que terá que receber na sua base eleitoral o peemedebista Artagão de Mattos Leão, com quem tem rivalidades históricas.

Presidente da CPI que está investigando as denúncias de irregularidades no Porto de Paranaguá, o deputado Douglas Fabrício também não se sente tão à vontade com as novas relações. “Vamos lá saber diretamente do governador o que está acontecendo. Sabemos que o governador Beto Richa tem um perfil agregador. Mas do ponto de vista de quem estava na AL no governo passado, nós éramos oposição a esses deputados que agora querem vir para a base. Tudo o que estamos apurando no Porto de Paranaguá e outros problemas citados pelo governador no diagnóstico do estado apresentado quando assumiu é resultado do governo que esses deputados apoiaram”, comentou Fabrício.

O líder da bancada do PPS, deputado Marcelo Rangel, avalia que a entrada do PMDB na base não deve abalar as relações entre o PPS e o governo. “Entendo que a vinda do PMDB demonstra que o governo tem uma grande aceitação. Eles representam milhares de eleitores. Se num primeiro momento, eram independentes, agora estão vindo numa demonstração e que estão gostando das medidas do governador”, contemporizou Rangel .

Até agora, o espaço do PPS no governo está dentro das expectativas, avaliou Rangel. Ele destacou que o partido comanda uma das maiores pastas, a de Desenvolvimento Urbano. “O PPS sempre recebeu uma grande atenção por parte do governador. Tem a secretaria de maior visibilidade no governo. A posição da bancada é para que trabalhemos mais unidos e que o governador possa contar com a gente”, comentou.