Alegando ser pobre, o deputado federal Alfredo Kaefer (PSDB) acionou a Justiça solicitando o benefício de assistência jurídica gratuita, para não pagar as custas judiciais de um processo no valor de R$ 910,00.

Contudo, a juíza Gabrielle Britto de Oliveira negou o pedido justificando que a declaração de bens do deputado junto à Justiça Eleitoral, em 2014, soma R$ 108,5 milhões, o que o torna o deputado mais rico do Brasil.

Em sua defesa, Kaefer disse que sua única fonte de renda é advinda do salário que recebe como parlamentar, e se tiver que pagar o valor das custas terá problemas em arcar com as despesas de sua família.

Entretanto, em sua decisão, a magistrada afirma que o deputado não apresentou nenhum documento ou prova que sustentasse a sua solicitação.