A Procuradoria-Geral da República apontou o deputado federal José Otávio Germano (PP-RS) como comandante do esquema que teria desviado R$ 44 milhões do Departamento Estadual de Trânsito (Detran-RS) entre 2003 e 2007, quando a Operação Rodin da Polícia Federal detectou a fraude. A informação foi divulgada no domingo (7) pelo jornal Zero Hora, que teve acesso à denúncia. O caso está no Supremo Tribunal Federal, que decidirá pela abertura ou não de ação penal contra o parlamentar.

Germano foi secretário da Segurança do Rio Grande do Sul entre 2003 e 2006. Naquele período, o Detran contratou sem licitação uma fundação ligada à Universidade Federal de Santa Maria para elaborar e aplicar exames de habilitação.

A fundação, por sua vez, subcontratava serviços de terceiros. Como havia preços superfaturados, o resultado era distribuído a participantes do esquema, entre os quais estaria o próprio Germano, conforme a acusação. A denúncia cita movimentações financeiras do acusado superiores aos rendimentos tributáveis que ele tinha.

O advogado de Germano, José Antônio Paganella Boschi, disse que a denúncia ainda não foi admitida pelo STF e que seu cliente foi investigado ilegalmente. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.