O DEM está reivindicando a vaga de candidato a vice-governador na chapa do candidato do PSDB ao governo, Beto Richa. Entre os possíveis indicados, o nome mais forte é o do ex-governador João Elísio Ferraz de Campos, que já faz a coordenação política informal da campanha tucana. Porém, também estão cotados o deputado estadual Plauto Miró Guimarães Neto, o ex-deputado federal Luciano Pizzatto, o deputado federal Eduardo Sciarra.

A vaga de candidato a vice-governador estava reservada para o PDT, que indicaria o deputado estadual Augustinho Zucchi se o senador Osmar Dias concordasse em concorrer à reeleição em aliança com o PSDB. Na convenção realizada ontem, em Curitiba, o senador Osmar Dias ainda não havia confirmado a candidatura ao governo do Estado, mas o DEM trabalhou com a perspectiva de que o pedetista não estaria na composição. Defensor da candidatura de Osmar Dias ao governo, o deputado federal Abelardo Lupion pediu licença da presidência do partido, a partir do próximo dia 30. O vice-presidente do DEM, deputado estadual Durval Amaral, assumirá o comando do partido.

Lupion justificou que se afastava para não causar constrangimentos ao partido que, em maioria, aprovou a coligação com o PSDB e o apoio à candidatura do ex-prefeito Beto Richa ao governo. O DEM também fará coligação na disputa proporcional com o PSDB e os demais partidos aliados a Beto.

O ex-prefeito de Curitiba, Beto Richa, candidato tucano ao governo participou da convenção do DEM, acompanhado do prefeito de Curitiba, Luciano Ducci (PSB). “O DEM tem excelente organização em todo o Paraná e uma boa relação com o PSDB, inclusive no plano nacional. Isso vai facilitar e fortalecer nosso projeto”, afirmou Beto Richa. Com o DEM, a aliança de apoio à candidatura de Beto Richa já soma oito partidos: PSDB, PSB, PP, PMN, DEM, PHS, PTC e PSDC.

O secretário geral do DEM, deputado Elio Rusch, elogiou a postura de Lupion. “Independente dos desdobramentos da questão do PDT, ele preferiu marcar a posição dele e tudo foi resolvido tranquilamente”, disse. Lupion afirmou que abdicou de defender sua posição em disputa no partido porque não quis colocar em discussão o apoio do DEM ao PT. “Não haveria sentido em querer levar o partido para o PT. Então, vou fazer o que já tinha me proposto que é apoiar o senador Osmar Dias para o governo e o Serra para presidente”, afirmou. Lupion pretende criar comitês conjuntos para Osmar e Serra, em todo o Estado.

Vice

Lupion afirmou que há uma orientação da direção nacional do DEM para que o partido participe da chapa majoritária com o candidato a vice-governador. Se houver acordo com os tucanos, que também trabalham com a perspectiva de chapa pura ou abrir espaço para o PPS, a executiva estadual do DEM irá definir o nome do partido que irá ocupar a vice de Beto.