Em representação que encaminha nesta quarta-feira (18) ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) contra o presidente Luiz Inácio Lula da Silva e a ministra da Casa Civil, Dilma Rousseff, o DEM aponta “exposição diuturna e ostensiva do nome da pré-candidata ao eleitorado” e “viés nitidamente eleitoreiro” do encontro de prefeitos na semana passada, financiado pelo governo federal. A sigla sustenta a prática de crime eleitoral por antecipação de propaganda e pede cobrança de multa para Lula e Dilma.

O DEM consultará ainda o TSE sobre os limites da pré-campanha e da divulgação de atos dos governos. O PSDB deverá se associar ao DEM nas ações. O governo nega qualquer caráter eleitoreiro do encontro de prefeitos e informa que gastou R$ 253 mil “com a ambientação do evento e impressão do catálogo”. “O presidente Lula está governando o País”, reagiu o líder do governo na Câmara, Henrique Fontana (PT-RS).