O presidente da CPI do Cachoeira, senador Vital do Rêgo (PMDB-PB), rejeitou nesta quarta-feira o pedido para impedir a eventual convocação dos governadores de Goiás, o tucano Marconi Perillo; do Distrito Federal, o petista Agnelo Queiroz; e do Rio de Janeiro, o peemedebista Sérgio Cabral. Vital negou recurso apresentado pelo deputado Gladson Cameli (PP-AC) para recusar a vinda dos governadores.

Cameli, que apresentou a questão de ordem na última terça-feira, argumentava que apenas as comissões parlamentares de inquérito instaladas nas assembleias legislativas estaduais teriam poder para convocar os chefes dos Executivos locais.

Em resposta a Cameli, o presidente da CPI do Cachoeira, porém, disse estar “persuadido” de que a convocação dos governadores “não viola o princípio federativo”. Para Vital, a comissão do Congresso tem “jurisdição em todo o território nacional, o que não acontece em uma CPI estadual”.

“No exercício da sua função judicante, cumpre à CPI buscar a verdade, justamente em respeito aos governados, ao povo brasileiro. Inclusive aos indiciados que porventura forem inocentes”, afirmou Vital.

A comissão deve votar a convocação dos três governadores logo após os depoimentos previstos para esta quarta-feira. Entre as seis pessoas marcadas pela CPI para falar está o ex-diretor da Delta Construções Cláudio Abreu e Gleyb Ferreira da Cruz, braço direito do contraventor Carlinhos Cachoeira. Eles conseguiram habeas corpus no Supremo Tribunal Federal (STF) para permanecerem calados diante das perguntas dos integrantes da CPI.