Uma equipe da Controladoria-Geral da União (CGU) recolhe na tarde de hoje computadores do Ministério da Agricultura, após o surgimento de mais denúncias envolvendo a pasta, informou o ministro-chefe da CGU, Jorge Hage. A CGU não soube informar quantos computadores foram recolhidos do ministério. Procedimento semelhante foi adotado após as denúncias de irregularidades envolvendo o Ministério dos Transportes, que levaram à queda de Alfredo Nascimento e à demissão de mais de 20 funcionários.

“Me comuniquei com ele (ministro da Agricultura, Wagner Rossi) antes do meio dia, informei que agora à tarde nossa equipe estará indo ao ministério, recolhendo os computadores das áreas que eram objeto de denúncia, para fazer a cópia dos discos rígidos, dos e-mails, pra começar o nosso trabalho. É um trabalho normal, como qualquer outro”, disse Hage, após cerimônia de posse do novo ministro da Defesa, Celso Amorim.

A controladoria anunciou hoje a criação de uma comissão de sindicância para investigar as novas denúncias em torno do Ministério da Agricultura. Segundo a revista “Veja”, um lobista atuava dentro do próprio ministério, com influência em editais e licitações.

De acordo com Hage, o ministro Rossi colocou-se à disposição para fornecer todas as facilidades do trabalho de auditoria. Hage disse que não foi recolhido nenhum material de Rossi. “Não há nenhuma acusação que pese contra o ministro pessoalmente”, disse. Sobre a conclusão das investigações, respondeu: “A previsão nossa, quando iniciamos o trabalho da Conab, era final de setembro. Agora temos denúncia nova, no Ministério da Agricultura, isso poderá postergar um pouco mais o andamento”.