Quatro viaturas da Polícia Federal e do Departamento Penitenciário Nacional (Depen), com batedores, conduzem no início da tarde desta terça-feira o contraventor Carlos Augusto Ramos, Carlinhos Cachoeira, para depor na CPI mista do Congresso.

A CPI investiga questões reveladas pela operação Monte Carlo, da Polícia Federal, que apurou um esquema de corrupção, jogos ilegais e ligações de Cachoeira com políticos e outros agentes. O depoimento está previsto para começar às 14h.

No Senado, onde irá depor, a segurança de Carlinhos Cachoeira será entregue à Polícia Legislativa do Congresso. Devem atuar entre 20 e 30 agentes para o translado. O número exato de agentes não é divulgado, por questão de segurança. Cachoeira está preso na área federal do presídio da Papuda, no Distrito Federal, à disposição da Justiça e da CPI.

A pedido dos advogados de defesa, a Justiça de Execução Penal autorizou Cachoeira a depor vestindo um terno, em vez do traje de detento. A ala federal onde ele está detido é destinada a presos provisórios e possui quatro celas de 12 metros quadrados cada. Cachoeira está em uma dessas celas, dividida com outros dois detidos na operação Monte Carlo. Ele tem direito a visitas familiares às terças-feiras, das 9h às 12h; e visita dos advogados, de segunda a sexta, das 9h às 16h, segundo informações do Depen.