A candidatura brasileira para chefiar a FAO (Organização para Agricultura e Alimentação da ONU) sofre um revés. Ontem, o ex-ministro de Relações Exteriores da Espanha Miguel Angel Moratinos anunciou que também se apresenta como candidato, o que deve dividir os votos latino-americanos e enfraquecer a posição do Itamaraty. Em novembro, o Brasil anunciou José Graziano da Silva como o candidato do País.

Moratinos quer aproveitar suas relações de amizade com o mundo hispânico para roubar votos do brasileiro. Ele vem ainda com outro trunfo: a Espanha é hoje o país que mais contribui financeiramente para a FAO. “Não quero ser considerado como o candidato dos países do Norte”, afirmou o espanhol. As eleições ocorrem em junho. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.