Foto: Carlos Ruggi/Divulgação

Requião encontrou Gleisi no Mercado Municipal de Curitiba.

Um confronto entre cabos eleitorais do candidato da coligação Paraná da Verdade, senador Osmar Dias (PDT), e do candidato à reeleição pela coligação Paraná Mais Forte, governador licenciado Roberto Requião (PMDB) encerrou a campanha eleitoral ontem, no início da tarde, na Boca Maldita. Um dos coordenadores da campanha de Requião, o secretário de Obras, Luiz Caron, teve o rosto cortado por uma gilete e quatro pessoas da campanha do pedetista ficaram feridas e registraram queixa no 1.º Distrito Policial. Osmar e Requião estiveram na Boca Maldita, mas saíram antes da briga.

Os dois foram ao local para esperar os eleitores que participaram de carreatas por vários bairros da cidade e tiveram a Boca Maldita como ponto final da campanha de rua. Acompanhado por lideranças políticas e coordenadores de campanha, Requião tomou café num dos quiosques, onde conversou e cumprimentou eleitores. Osmar fez uma caminhada da Praça Santos Andrade até a Boca Maldita. No caminho, conversou com lojistas e as pessoas que passavam pela rua. Osmar e Requião não se encontraram, mas os cabos eleitorais e militantes das suas campanhas permaneceram na rua e acabaram entrando em atrito.

Da Boca Maldita, o governador licenciado foi almoçar no Mercado Municipal. Lá, encontrou a candidata ao Senado, Gleisi Hoffmann (PT), seu marido, o ministro do Planejamento, Paulo Bernardo, e o coordenador da campanha do presidente Lula no Paraná, Jorge Samek. Aos petistas, Requião assegurou que vence a eleição no primeiro turno. ?Vamos para a vitória amanhã, certo de que a população saberá reconhecer as melhores propostas do nosso governo e os avanços que obtivemos durante nossa gestão?, declarou.

Já Osmar não tem dúvidas de que a decisão irá para o segundo turno.

?Estou muito feliz por termos conseguido dialogar com a população paranaense e transmitir nossa proposta para todo o Paraná. Só tenho a agradecer por todas as orações, palavras de estímulo e energia que recebi?, afirmou.

Reforço

O terceiro colocado na disputa, o candidato da coligação Voto Limpo, Rubens Bueno (PPS), fechou a campanha com declarações de apoio recebidas do candidato do PSDB à presidência da República, Geraldo Alckmin. Bueno foi ao aeroporto recepcionar o candidato tucano e com ele tomou café e cumprimentou eleitores dentro do Afonso Pena.

Bueno encerrou o dia com uma carreata em Colombo, percorrendo as principais ruas da cidade, na Região Metropolitana de Curitiba. ?Tenho certeza que estarei no segundo turno. Minha candidatura cresceu nessa reta final e tenho recebido apoio de todas as regiões do Paraná?, declarou o candidato.

Uma carreata por vários bairros de Curitiba também foi a fórmula escolhida pelo candidato da coligação Paraná Unido, senador Flávio Arns (PT), para se despedir dos eleitores nesta campanha eleitoral. Arns espera comprovar na eleição de hoje que as pesquisas não detectaram o crescimento de sua popularidade junto aos eleitores. ?Apostamos no voto de corrente, conquistado pela conversa e pela indicação de quem conhece nossa história, assim como aconteceu em 2002, na eleição para o Senado?, diz. Na eleição de 2002, Arns aparecia com uma votação inexpressiva nas pesquisas, mas foi eleito com mais de 2 milhões de votos.